13/10/2018 / Em: Artigos

 

A água, elemento formado por dois átomos de hidrogênio e um de oxigênio é fundamental para a existência da vida na Terra. Cerca de 75 a 85% da estrutura dos seres vivos é composta por água, de modo que, apenas esta simples observação oferece uma visão ainda pálida da importância desta substância para todos. Desnecessário, portanto, discorrer aqui em torno de pormenores pertinentes a água. O espaço será utilizado para a abordagem da água como ferramenta de cura, alívio de dores físicas e promoção de uma melhor qualidade de vida aos encarnados.

Vale lembrar que Allan Kardec interessava-se pelas curas espirituais e pelas terapias alternativas oferecidas pelos Espíritos. Trago, aqui, interessante tema tratado por Allan Kardec na Revista Espírita, mês de novembro, 1862. O título do texto é “Remédio dado pelos Espíritos”. Nele, Kardec narra o caso da Srta. Dufaux que estava com complicado problema nas pernas. Ao perguntar ao guia espiritual sobre o caso, o invisível informou que a cura estaria ao passar a pomada que o tio da Srta. Dufaux, já desencarnado, utilizava em ferimentos. A receita, pois, havia se perdido, mas o guia ditou os ingredientes para a médium. Ela utilizou e teve sua perna curada. Outros indivíduos também utilizaram e receberam a cura por meio da pomada. Vale lembrar que Kardec recomenda a utilização, pois a pomada nada tem de ofensiva, sendo composta apenas por ervas e plantas. Mais uma prova de que os Espíritos interessam-se, genuinamente, pela melhora física dos homens e, quando possível, oferecem concursos diretos para recuperação e, consequentemente, melhora na qualidade de vida das pessoas.

O mesmo raciocínio no tocante à pomada pode-se aplicar a utilização da água como substância que proporciona melhoria na qualidade de vida. Extrai do livro, “Segue-me”, a seguinte informação da dupla Chico Xavier/Emmanuel: “A água é dos corpos o mais simples e receptivo da terra. É como que a base pura, em que a medicação do Céu pode ser impressa, através de recursos substanciais de assistência ao corpo e à alma, embora em processo invisível aos olhos mortais”.

Sendo a água, nas palavras da dupla, uma substância altamente receptiva fica fácil concluir que se torna, a água, um excelente elemento para que se deposite os bons fluidos, emanados por um encarnado e que, por meio de sua fé e vontade convida os bons Espíritos a também depositarem no precioso líquido as substâncias que possibilitarão o auxílio ao necessitado.

No livro “O Consolador”, novamente da dupla Chico Xavier/Emmanuel, na questão de número 103, ambos assinalam que a água pode ser fluidificada, ou magnetizada que, em tese configuram-se a mesma coisa, tanto para a coletividade quanto para um único indivíduo, sendo, neste último caso, importante a utilização exclusiva.

Parece-me, também, muito importante considerar que, assim como o passe magnético exige que o seu aplicador encarnado esteja em bom estado físico e psíquico, o mesmo cuidado deve ocorrer com relação a “fluidificação” da água por parte do encarnado.

Fundamental, portanto, o encarnado que se habilita a trabalhar nesta fluidificação estar apto a fazê-la.

Peço licença ao leitor para narrar um caso pessoal. Entusiasta do Grupo Curador de Marmande, cujas experiências Kardec narra na Revista Espírita e deixo aqui como dica de pesquisa ao leitor, costumo magnetizar ou fluidificar a água e dá-la ao meu filho, portador de hipercolesterol e atesto que obtivemos, em todas as oportunidades, ótimos resultados, pois aferimos seus exames antes e depois do início da terapia de passes junto a magnetização da água.

É que o amor, conforme a própria metodologia utilizada pelo Grupo Curador de Marmande, tem o poder fabuloso de potencializar ainda mais a ação magnética da água e demais, eis porque o referido grupo utiliza o expediente de passes aplicados por familiares e amigos.

Quem, afinal, quererá com mais vontade a cura do que alguém que ama em tem ligação com o necessitado?

Autor: Wellington Balbo